COMUNICADO da Direção da AEF – Covid-19

Em face da evolução recente da epidemia provocada pelo Covid-19, e designadamente a factualidade conhecida resultante do foco de infeção detetado, em especial no nosso concelho, e o alarme social causado, vem a Direção da AEF apresentar a seguinte declaração:

  1. Constatamos que as empresas de Felgueiras estão já a sofrer impacto económico esta situação, nomeadamente pelos seguintes motivos:
    • São vários os casos documentados de colaboradores não residentes que se recusam trabalhar em Felgueiras;
    • Simultaneamente, por imposição sanitária, colaboradores que estão em quarentena tem reduzido a capacidade de produção da empresa, o que tem acontecido sobretudo na indústria do calçado, que usa mão de obra intensiva e está fortemente exposta à concorrência global;
    • Acresce que, outros trabalhadores permanecem indisponíveis para o trabalho pela necessidade de guarda dos filhos, impossibilitados da frequência escolar.
  2. Acrescentamos que, tendo em conta a quarentena imposta e voluntária que existe no concelho, denota-se uma grande redução da afluência de pessoas ao Comércio, Serviços e Hotelaria de Felgueiras, facto que se repercute nos resultados das empresas destes setores;
  3. São também reportadas dificuldades no abastecimento de matérias primas e redução de encomendas, o que origina atrasos nas produções e incumprimento dos prazos de entrega;
  4. Por fim, são já vários relatos de empresas de Felgueiras têm dificuldade – e mesmo em alguns casos recusa de trabalho fora do concelho.

Tendo em conta, face ao que precede, a redução drástica do volume de negócios das empresas de Felgueiras, apelamos ao Governo que seja criada um pacote de medidas excecionais de apoio aos empregadores e empregados deste concelho, nomeadamente pela redução ou isenção da taxa de TSU já para o corrente mês e por um período nunca inferior a 6 meses.

10 de Março de 2020

P´la Direção da AEF

Emídio Monteiro